🔹É MUITO comum que o(a) paciente que se submete à cirurgia bariátrica apresente episódio importante de queda de cabelo após a cirurgia.
.
🔹É tão comum que até o Cirurgião já tem conhecimento desse fenômeno e já conversa com o paciente sobre esse assunto antes da cirurgia.
.
🔹A queda que ocorre nesses casos é do tipo EFLÚVIO TELÓGENO AGUDO (ETA).
.
🔹Por definição, TODO ETA se inicia após 2-3 meses do fator desencadeante ter ocorrido. É por esse motivo, que a queda não se inicia imediatamente após a cirurgia, e sim alguns meses depois.
.
🔹Mas notem que o fator desencadeante do ETA pós-bariátrica NÃO É SOMENTE a cirurgia em si.
.
🔹 Soma-se ao procedimento cirúrgico outros dois fatores desencadeantes para a queda que são muito importantes: 1) a perda de peso INTENSA e RÁPIDA 2) a deficiência de ferro e vitb12 que pode ocorrer.
.
🔹Resultado: agressão cirúrgica + perda de peso rápida + deficiência nutricional = um eflúvio de alta intensidade…
.
🔹 A boa notícia é que todo ETA é AUTO-LIMITADO, ou seja, cessará em alguns meses. A “tarefa de casa” é apenas cuidar para que as deficiências sejam corrigidas!
.
⚠️ Mas SE LIGUEM: o ideal é que todos que vão se submeter a esse tipo de cirurgia, passem em consulta com o Médico Dermatologista antes!
.
⚠️Por que? Pelo motivo de: se o(a) paciente tiver alopecia androgenética / calvície (que já saiba ou não), é preciso “se preparar” adequadamente para a queda/ETA após a cirurgia. Como? Com prescrição médica específica!
.
⚠️Pois, se não houver tratamento adequado PRÉ e PÓS operatório, a Calvície / Alopecia Androgenética pode piorar/avançar substancialmente após a queda pós-cirúrgica!